Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Associação reivindica sede própria para promoção a saúde

Convidado pelo vereador Guilherme Silverio (PMDB), o fundador e coordenador técnico da Associação dos Diabéticos de Pato Branco, Anselmo Kajewski, usou a tribuna livre para falar sobre a Associação dos Diabéticos de Pato Branco, e sobre o Programa Multiprofissional aos Diabéticos. Segundo ele, a associação foi fundada há aproximadamente dois anos, quando ele convidou vários diabéticos para comporem uma diretoria. Atualmente ela conta com apoio de voluntários, 7ª Regional de Saúde; Secretaria Municipal de Saúde; Faculdade de Pato Branco (Fadep); Associação Nacional de Assistência ao Diabético (Anad); e Federação Nacional das Associações e Entidades de Diabetes (Fenad). O principal trabalho realizado pela associação são os encontros realizados sempre na primeira terça-feira de cada mês, às 8h30, no pavilhão São Pedro. Nesses encontros, são convidados médicos para ministrar palestras, e cada um trata a relação do diabetes conforme sua especialização. “Isso é pouco diante do que precisa ser feito, a diabete é uma doença grave, apesar de não ser vista dessa forma. Hoje, 11% da população é portadora de diabetes, mas grande parte não sabe disso, sendo que a doença apenas será diagnosticada através de suas conseqüências. Em Pato Branco, temos 982 pacientes cadastrados no serviço público de saúde. Mas sabemos que existem mais de três mil, levando em conta a proporção nacional”, alertou.Kajewski relatou que os objetivos da associação são: a prevenção, com a mudança do estilo de vida; o tratamento digno para as pessoas de baixa renda; e melhoria da qualidade de vida dos diabéticos, através da educação e do tratamento.“A diabetes é uma doença muito cara, um paciente gasta em média R$ 1.200 por mês para um tratamento adequado, sendo a doença mais cara que existe. Em torno de 40% do orçamento de saúde é destinado ao tratamento da diabete ou suas complicações”, disse. “Segundo estatísticas, 58% dos diabéticos, se levassem uma rotina de vida adequada, poderiam deixar de ser diabéticos”, enfatizou Kajewski.Ele relatou que a associação está constituindo uma equipe multiprofissional que irá trabalhar junto a Fadep. “Teremos todo o apoio dos cursos de saúde da faculdade, inclusive o de medicina, que virá em breve. Faremos um trabalho modelo, onde iremos selecionar um grupo de pacientes que serão atendidos por vários profissionais, fazendo um comparativo dos resultados com aqueles que não serão atendidos dessa forma”, explicou.Entre as metas apresentadas por Kajewski, está a promoção de eventos com periodicidade anual voltado para conscientização dos profissionais e estudantes de saúde; reuniões mensais para levar informações aos pacientes; e palestras para os professores em escolas públicas e privadas, informando sobre prevenção de diabetes.Kajewski ainda pediu apoio dos vereadores para a construção de uma sede própria para a associação, onde será possível desenvolver várias atividades de apoio aos diabéticos. “A sede é importante para a associação criar uma referência, hoje os diabéticos se sentem perdidos, se eles precisam buscar algum apoio, normalmente não sabem onde ir. Nessa sede, precisaríamos de uma sala e um espaço para caminhadas e lazer, com professores de educação física. Essas pessoas são diabéticos porque tem um estilo de vida que facilita o desenvolvimento da doença, então precisamos trabalhar com prevenção”, desejou.