Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Braun alerta para problemas ambientais e de saúde pública

O vereador Osmar Braun (PV) usou o espaço do Grande Expediente da última sessão ordinária da Câmara Municipal de Pato Branco, realizada ontem (03), para se manifestar a respeito do problema dos cemitérios públicos do município.“Há alguns meses falei a respeito do problema dos cemitérios em nossa cidade e a partir desse dia, comecei a receber críticas, denúncias e sugestões da população a esse respeito. Com isso, procurei me aprofundar e entender um pouco mais dessa questão. Acompanhando os meios de comunicação de Pato Branco, percebemos que toda semana aparecem denúncias de profanação de túmulos e até magia negra sendo praticada em nossos cemitérios”, relatou Braun, manifestando sua preocupação com o problema.“Em 2000, uma comissão de inquérito desta casa de leis, presidida pelo vereador Carlos Lins (PT), tendo como um dos membros o vereador Nelson Bertani (PDT) elaborou um relatório sobre os cemitérios. Lendo esse relatório, percebemos que pouco mudou, os problemas e denúncias ainda são as mesmas. Conversei algumas vezes com o prefeito Roberto Viganó (PDT) que vem se mostrado preocupado com a situação”, disse, ressaltando que o problema além de administrativo é de meio ambiente e saúde pública.“O corpo humano em decomposição libera em média 45 litros – no caso de uma pessoa de 75kg -, de um líquido chamado necrochorume. Esse líquido é formado por várias substâncias, sendo que duas delas, a cadaverina e a putrescina, são tóxicas. Nossos cemitérios não têm estrutura necessária para canalizar essas substânicas, que conseqüentemente vão para o meio ambiente, poluindo a água. Isso se agrava ainda mais pois termos casas ao redor dos cemitérios, o que é proibido por uma resolução recente do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama)”, alertou o vereador.“O problema precisa ser resolvido, e não podemos investir ainda mais nos cemitérios que temos hoje, pois ambos não tem espaço e estrutura adequada para funcionar. Precisamos de um novo espaço, que possa ser usado pelo resto da vida de Pato Branco”, salientou Braun. O vereador trouxe a plenário a sugestão de uma empresa da cidade, que faria um convênio com a prefeitura. Nesse acordo, a empresa entraria com o terreno e a administração; e a prefeitura com as adaptações necessárias para atender as necessidades ambientais, entre outras reformas necessárias. Porém, as pessoas teriam que pagar uma taxa para usar o cemitério. “Talvez essa seja uma solução paliativa, como se manifestaram alguns vereadores, mas pode funcionar enquanto não conseguimos um local definitivo”, finalizou.