Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

CEI vai investigar gastos com propaganda

O depoimento do diretor da Rádio Cidade de Pato Branco, João Luiz Garcia, sobre o valor investido em sua rádio pela prefeitura preocupou os vereadores. Garcia se inscreveu no espaço da Tribuna Livre da sessão de ontem (19) depois que foi levantada em sessão ordinária a questão de que parte dos meios de comunicação do município receberiam verbas da prefeitura para falar bem da administração municipal. O requerimento para abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) está sendo elaborado pelos vereadores.“Estou nessa profissão há 32 anos, 22 deles em Pato Branco. Sempre ouço nos pronunciamentos a mesma fala, que coloca todos os meios de comunicação e profissionais em vala comum [sic]. Quando os vereadores se dirigem aos meios de comunicação sempre falam de forma generalista. Porque não citar nomes”, indagou.O radialista também falou sobre uma gravação de bastidores feita na câmara. “Nessa gravação, está dito que existem profissionais recebendo da prefeitura para falar bem da administração, e que um deles estaria trabalhando na Rádio Cidade. Isso causou problemas internos em nossa empresa, pois um passou a desconfiar do outro. Diante dessa situação, e conversando com os demais diretores da rádio, chegamos a conclusão de pedir aos vereadores a realização de uma investigação a respeito dessa denúncia”, conclamou, Garcia, deixando os documentos que comprovam que a rádio recebeu R$ 11 mil da prefeitura, sem contar com os 20% de comissão da Genius Publicidade. O relato de que um jornalista gravou uma conversa de bastidores dentro da câmara deixou o vereador Guilherme Silvério (PMDB) preocupado. “Isso me deixou triste. Confiamos nos senhores, abrimos nossas portas. Acho que temos que conversar com os diretores dos meios de comunicação e analisar se os repórteres ainda poderão entrar na câmara”, lamentou. Silvério ainda relatou que o orçamento de Publicidade previsto para esse ano era de R$ 600 mil. “A sua empresa recebeu R$ 11 mil, a Rádio Itapuã, não podia receber, sobram aproximadamente R$ 589 mil para o restante dos meios de comunicação do município. Teremos que abrir uma CPI e pedir a quebra de sigilo bancário dos funcionários”, indicou.O líder do governo na câmara, Aldir Vendruscolo (PFL), acredita que a investigação deve ser feita. “Sei que a Rádio Itapuã não recebeu da prefeitura, por ser vereador e sócio da rádio, não poderíamos receber verba do município. Quero dizer que, se no período em que eu ainda era sócio houver entrado verba da prefeitura, renunciarei ao cargo de vereador”, salientou.O vereador Nelson Bertani (PDT) ressaltou a importância de dizer os nomes dos meios de comunicação e dos funcionários. “É o mesmo sentimento de quando falam dos vereadores sem citar nomes”, disse. Bertani contou que está processando por calúnia e difamação o site RPC Notícias pela divulgação de que ele teria sido preso durante as últimas eleições. “Sou favorável a essa CPI, vou assinar junto o pedido, acho importante que possamos esclarecer essa situação para a sociedade e descobrir se há ou não pessoas recendendo da prefeitura”, desejou.O vereador Marco Pozza (PMDB) declarou que a Comissão de Orçamentos e Finanças, da qual é presidente, sofreu com declarações do programa Itapuã Notícias, da Rádio Itapuã. “Essa CPI tem que acontecer. Tenho certeza que teremos assinaturas suficientes, e através dela, daremos nome as pessoas que recebem do executivo. Espero estar errado, espero que a CPI não nos confirme essas denúncias”, ressaltou.