Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Rodrigo

Projeto do Censo Animal já visitou mais de 700 residências no Município

A Câmara Municipal recebeu, na última quarta-feira, 01, o professor Anderson Luiz Michelin e a acadêmica Talita Rodrigues, da Faculdade Mater Dei. A convite do vereador Fabricio Preis de Mello (PSD), eles participaram da Sessão Ordinária e falaram sobre um tema importante para o Município: o projeto do Censo Animal.

Desde o início do ano, o Município e a Faculdade vinham conversando sobre o desenvolvimento de um projeto em conjunto. De acordo com Michelin, a ideia começou a criar forma a partir de uma oficina que acontece todos os anos na Faculdade e é voltada ao desenvolvimento de aplicativos. A partir desse ponto, o projeto ganhou corpo.

“Lançamos a ideia aos alunos e acabamos tendo êxito”, conta ele. Segundo Michelin, que é coordenador do curso de Administração na Faculdade Mater Dei, o aplicativo desenvolvido já está sendo usado como uma ferramenta fundamental para auxiliar na contagem dos animais na cidade.

Todo o processo de contagem teve início pelo Bairro Industrial. Desde o mês de outubro, já foram visitadas mais de 700 residências e cadastrados mais de 300 animais. “É um processo que demanda tempo, já que Pato Branco tem mais de 30 mil residências. Nossa expectativa é de que esse cadastramento seja concluído na metade do ano que vem”, pontuou.

Segundo o professor, a participação dos acadêmicos acontece toda de forma voluntária. A intenção é que no próximo ano o projeto conte com o apoio de voluntários de outras entidades. “Isso vai nos possibilitar um ganho maior, fazendo com que o trabalho se torne mais ágil”, destacou Michelin.

Acadêmica do curso de Administração, Talita ressalta que o trabalho não tem como caráter a fiscalização. “Nosso objetivo é apenas realizar a contagem dos animais existentes na cidade e a partir dessas informações subsidiar o Município para a adoção de políticas públicas nessa área”, acrescentou.

Pelo aplicativo, os acadêmicos conseguem identificar a residência, rua e bairro, tipo de animal (cão ou gato), se ele é preso ou solto, tem acesso a rua, está vacinado, além do nome do proprietário do animal, telefone e demais informações que ajudem a mapear de forma exata a realidade local.

Para o vereador Fabricio, o trabalho é fundamental no intuito de levantar informações que possam subsidiar a atuação do Executivo e Legislativo. “A partir dessa importante iniciativa, será possível o poder público definir políticas voltadas à proteção animal”, explicou.

O projeto é realizado em parceria com a Prefeitura de Pato Branco, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, e com o Conselho Municipal de Proteção dos Animais (Compato).