Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Conflito gerado pela proposta de criação de conselho é mediado pelo Legislativo

A proposta da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de criar um conselho municipal está gerando conflito entre algumas entidades. O conselho tem caráter consultivo e é integrado por representantes de várias entidades. A finalidade é o incentivo e desenvolvimento científico, tecnológico e a inovação.O projeto que institui o Conselho de Ciência, Tecnologia e Inovação foi lido em plenário no dia 6 de junho e distribuído às comissões de Justiça e Redação, Políticas Públicas e de Orçamento e Finanças. Há poucos dias, o presidente da Casa, Valmir Tasca (DEM), promoveu duas reuniões para tratar do assunto com representantes das entidades ligadas ao setor de tecnologia. A última reunião, na sede do Legislativo, aconteceu nesta semana, quando estavam presentes representantes das entidades que fazem parte da Pato Branco Tecnópole. Para o presidente da Pato Branco Tecnópole, Itamir Violla, um conselho consultivo não é adequado no momento, mas um conselho consultivo e deliberativo. Sobre a criação da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, ele qualificou de uma conquista, uma conquista histórica, no entanto, é preciso ajustar, conforme disse o presidente, os ponteiros, o meio correto de participação da secretaria e sem prejudicar a Pato Branco Tecnópole, entidade que vem construindo o setor de tecnologia há mais de 13 anos, sob pena de um retrocesso. “Retirar a Pato Branco Tecnópole do cenário é um retrocesso gigantesco para a cidade de Pato Branco”, prevê o empresário, salientando que todas as prestações de contas estão em dia, inclusive recentemente foi renovada a titulação da entidade. De outro lado, ele teme que, a atual administração estatize os projetos da área tecnológica, acreditando que, todos os projetos sob a égide do município é um retrocesso. O presidente Tasca relatou que o projeto que cria o conselho foi questionado por algumas entidades, principalmente pelo seu caráter “consultivo”, acrescentando que “é preciso respeitar a história de todas as entidades”, a motivação foi essa, segundo o presidente, das reuniões com setor de tecnologia. O projeto somente será discutido e votado, salientou o presidente, após entendimentos entre os setores envolvidos.