Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Doação de terreno para Fábrica de Chocolates é aprovada

O Projeto de Lei nº 125/2006, que autoriza doação de imóvel para a construção da Fábrica de Chocolates Nuit Maravilhas, do empresário Gilberto Frizon, foi aprovada em primeira discussão e votação, na sessão ordinária da Câmara Municipal de Pato Branco, do último dia 26.O relator na Comissão de Justiça e Redação foi o vereador Cilmar Pastorello (PL), que levantou alguns problemas no projeto. “Segundo o Termo de Acordo de Desapropriação do imóvel, o valor a ser pago está em R$ 33.531,93, em duas parcelas. A Escritura Pública de Desapropriação traz o valor do terreno em R$ 33.531,93, e que será descontado desse valor R$ 3.305,17 de impostos atrasados, sendo que o restante, R$ 30.226,76, serão pagos em dinheiro. Dessa forma, como foram empenhadas duas parcelas que totalizam R$ 33.531,93? Não vamos descontar o imposto antes de efetuar o pagamento?”, indagou o vereador, ressaltando que no Registro do Imóvel, está escrito que o terreno vale R$ 33.531,93 mais o desconto de IPTU no valor de R$ 3.305,17. “Esses problemas têm que ser esclarecidos”, salientou.O vereador Osmar Braun (PV), relator na Comissão de Políticas Públicas, relatou que a empresa vem trabalhando algum tempo nesta área e agora ganha uma nova motivação do executivo. “Espero que a empresa cresça, traga recursos para o município e gere empregos, valorizando a nossa indústria”, disse. Na Comissão de Orçamentos e Finanças, coube a relatoria a vereadora Márcia Kozelinski (PPS).O vereador Guilherme Silvério (PMDB) contou o processo que levou a essa doação. “Acompanhei o processo inteiro. Já passou um ano, talvez leve mais alguns dias, mas com certeza vamos aprovar a doação”, disse.O líder do governo na câmara, vereador Aldir Vendruscolo (PFL), salientou a importância de analisar os projetos e apontar os erros. “O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, Júlio Lattmann, irá resolver todas essas questões. O empresário tem a intenção de fazer uma estrutura na forma de castelo, juntando isso a sua localização, acredito que a indústria será um cartão de visitas para a cidade”, relatou. HistóricoNo ano passado, Silverio enviou ao executivo uma indicação para que a prefeitura estudasse a permuta de terrenos para a construção da fábrica. Em reunião realizada no dia 28 de julho na prefeitura, Silvério, o empresário Juarez Todeschini, e Gilberto Frizon, apresentaram ao secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, Júlio Lattmann, uma proposta para viabilizar um terreno para a fábrica.Todeschini é proprietário de um terreno com boa visibilidade na avenida Tupy, zona sul da cidade, onde funcionava o britador Redivo, que atualmente está abandonado. Ele se dispôs a vender este terreno para prefeitura que, posteriormente, doaria o espaço para Frizzon instalar sua fábrica.Na sessão ordinária do dia 18 de setembro, foi lido em plenário um ofício onde o empresário Gilberto Frizzon, pede urgência na tramitação de projeto de lei para doação de terreno para construção e instalação de sua indústria. No ofício, Frizzon pede presteza na votação da matéria, pois terá que construir, instalar equipamentos, contratar e treinar funcionários a tempo de produzir para a Páscoa, período de maior venda no segmento. Naquela data, o projeto não havia chegado à câmara, o que aconteceu apenas no dia 5 de outubro.