Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Rodrigo

Fabricio busca alternativas para os gargalos no trânsito municipal

Entre tantas questões a serem solucionadas, a mobilidade urbana precisa ser tratada como uma prioridade. Isso porque a eficiência no deslocamento não pode ser encarada como uma dificuldade no dia a dia. Pensando nisso, o vereador Fabricio Preis de Mello (PSD) esteve na tarde da última sexta-feira, 15, em reunião com Emerson Michelin, diretor do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Pato Branco (IPPUPB).

A reunião foi agendada após inúmeras reivindicações de moradores locais com relação aos gargalos no trânsito de Pato Branco, explica o vereador. “A intenção da reunião foi buscar soluções que pudessem contribuir para a melhora da mobilidade urbana, principalmente nos pontos em que há maior fluxo de veículos”, destacou Fabricio.

Dentre esses locais, ele destacou a Avenida Tupi com a Rua Mato Grosso, na Avenida Tupi com a Rua Genuíno Piacentini, na Rua das Siriemas, no Bairro Planalto, entre outras. O vereador espera que com as reformulações do Plano Diretor do Município e com o seu Projeto de Lei, o Estatuto do Pedestre, muitos problemas possam ser resolvidos.

Mudanças

Durante a reunião, Fabricio foi informado que a rotatória da Avenida Tupi com a Rua Nereu Ramos será retirada. Além dela, já há outro estudo prévio para a retirada também da rotatória localizada nas proximidades do Posto Seis Rodas. Na avaliação do vereador, as mudanças devem contribuir para a melhora do fluxo de veículos nos locais.

“Estivem em ambos locais próximo das 18h e posso afirmar que é extremamente difícil a mobilidade em horários de pico. Pato Branco possui mais de 55 mil veículos, então precisamos ter um cuidado especial com relação ao trânsito porque isso acaba influenciando diretamente na vida das pessoas”, pontuou.

Outra boa notícia conquistada pelo vereador é a instalação de um ponto de ônibus e de taxi em frente a UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Na avaliação do vereador, essa é uma demanda antiga pedida pela população e que estava gerando alguns transtornos e dificuldades com relação a mobilidade.

“O que acabava acontecendo era que o paciente se deslocava até a UPA, muitas vezes de taxi ou de ambulância, e na hora de voltar pra casa tinha que percorrer aproximadamente duas quadras para conseguir transporte. Com essa nossa solicitação atendida pelo IPPUPB, vamos dar mais comodidade para aqueles que utilizam a Unidade”, explicou.