Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Ubiracy José Tesserolli

Vereadores iniciam o segundo período legislativo de 2018

A Câmara Municipal retoma as atividades nesta quarta-feira (01), com as sessões no plenário. Na pauta da ordem dia, três projetos de lei. Entre as matérias, o projeto de lei, de  autoria do vereador Claudemir Zanco, Biruba (PDT), que denominada via pública de “Germano Dalacosta”, localizada no Loteamento Jardim Europa. Representantes da família do homenageado acompanharam a sessão.

Também foi aprovado o projeto que denomina espaço público localizado no bairro Alvorada de “Marcelo Flessak”. O projeto é de autoria da vereadora Marines Boff Gerhardt  (PSDB).

Histórico

Marcelo Flessak nasceu em 9 de junho de 1958 em Pato Branco, filho de Moroslavo Flessak e Maria Aparecida Machado Flessak. Casou-se em 1982 com Néli Fátima Marchetto com quem teve suas duas filhas: Thais e Marinéli que lhe presenteou com uma neta Nicoli, seu grande amor.

Marcelo desde muito cedo se dedicou ao esporte, nunca foi um grande atleta, mas um apaixonado por esporte, desde muito jovem dedicou-se ao futebol de salão e isso o fez se tornar árbitro. Essa era uma de suas paixões, depois das filhas e da neta.

O esporte o fascinava, todas as modalidades o interessavam, a descoberta de novos talentos, a valorização dos atletas mesmo que de uma modalidade com pouca visibilidade. Falando em visibilidade, Marcelo amava dar visibilidade a atletas pouco conhecidos, quando estavam começando e se destacavam em suas modalidades muitas vezes em competições pequenas, muitas vezes minúsculas, mas para Marcelo tudo era importante, tudo tinha um peso enorme e um destaque por menor que fosse daquele atleta naquele momento poderia determinar seu futuro, poderia dizer se aquela criança iria continuar no esporte ou não, ou até mesmo, se determinada escola ou entidade iria continuar incentivando o esporte ou não.

Marcelo Flessak era considerado um tiozão para quem o conhecia, com uma alegria contagiante, não media esforços para arrancar sorrisos dos rostos que o rodeavam, adorava também contar histórias sobre as modalidades de esportes, sobre as pessoas que conheceu nestas modalidades e passar um pouco mais de conhecimento à frente.

 Um homem que adorava o jornalismo e a comunicação criou suas filhas nos corredores da Rádio Celinauta onde começou em 1975 e por ocasião dos 40 anos de comunicação escreveu o texto a seguir: “40 anos de Comunicação. Foi no dia 2 de junho de 1975 meu registro na Rádio Celinauta de Pato Branco, foi quando começou minha caminhada na comunicação. Ao longo destes 40 anos de comunicação aprendi muitas coisas, também passei algum conhecimento. Tomei muitas decisões aceitadas e também errei em outras. Sempre digo que a nossa jornada é um eterno aprendizado. Hoje continuo aprendendo e procurando sempre acenar nas decisões. Procurando sempre ter um bom relacionamento com colegas de trabalho, com os amigos, nossos leitores e nossos familiares. Poderia nesta data citar nomes de várias pessoas que me ajudaram e sempre me apoiaram durante estes 40 anos, mas citar nomes fica difícil, pois poderei esquecer alguém e não quero cometer injustiça. Mas do fundo cio coração muito obrigado a todos que sempre estiveram juntos nesta caminhada. Obrigado a todos e que venham outros 40 anos.” Na década de 90 passou a integrar a equipe de assessoria de imprensa da antiga Paraná Esportes hoje Secretaria do Esporte e do Turismo (Seet).