Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Local continua indefinido

O empresário Edson Flessak esteve na noite de ontem na Câmara de Pato Branco explanando sobre a viabilidade de construção de um Aeroporto regional no Sudoeste. Segundo Flessak o aeroporto não poderá ser nem em Pato Branco e nem mesmo em Francisco Beltrão. Nos dois aeroportos existentes há limitações que impedem o tráfego de aviões de cargas.Flessak ressaltou que as empresas que operavam no transporte aéreo na região sempre tiveram prejuízos. “A média de custo do bilhete entre Pato Branco e Curitiba era de R$ 450,00 com 60% de lotação, mas nunca houve uma ocupação superior a 50% nas aeronaves que prestavam este serviço na região” disse. Para que o sudoeste ganhe importância no cenário nacional, é importante que um estudo, como o que foi encomendado pela Associação de Municípios do Sudoeste do Paraná, Amsop, mostre em que local poderá ser construída uma pista que tenha, inicialmente, 2.100 metros com possibilidade de chegar aos 5 mil metros . Para o empresário esta previsão é importante, pois a partir dos 2.100 metros é possível que um Boeing desça, e a partir do aumento da extensão da pista aviões de cargas poderão utilizar o aeroporto do Sudoeste.“A diferença de tempo de vôo de Cumbica para o sudoeste é de 10 minutos. Precisamos pensar num projeto que seja de futuro.” Afirmou Flessak. Segundo as estimativas haverá uma necessidade de uma área mínima de 100 alqueires sendo o ideal um plano diretor que contemple uma área de 1.500 alqueires.Quanto ao local de construção do aeroporto regional, o estudo deverá indicar, há indícios de setores da região em Itapejara do Oeste, Bom Sucesso, Renascença e São João que podem oferecer as condições de terreno e ventos para o aeroporto.