Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Mudança de ponto reduz movimento

Na tarde de ontem (30), sete proprietários de estabelecimentos comerciais situados na Rua Tamoio se reunirão com os vereadores Cilmar Passtorello (PL), Laurindo Cesa (PSDB), Marco Pozza (PMDB) e Volmir Sabbi (PT), na Câmara Municipal de Pato Branco. Os comerciantes relataram que a mudança de ponto de ônibus, da Rua Tamoio para a Rua Caramuru, acarretou em queda no fluxo de pessoas. Um dos comerciantes presentes, Dirceu Consoli, proprietário da Andaraí Calçados, disse que o movimento da sua loja caiu 20%. “Foram 341 pessoas a menos que visitaram a loja neste mês”.O proprietário da Omni Financeira, Rodrigo Cordeiro, disse que a administração municipal deveria ter ouvido os comerciantes para fazer o seu planejamento e mudanças desse tipo. “Tínhamos a preocupação de atrair as pessoas que utilizavam o ponto de ônibus, pois eles representavam grande parte do nosso movimento. A administração ouviu apenas uma parte para tomar essa decisão, e agora, as outras partes ficaram a mercê dessa atitude unilateral”, declarou, ressaltando que alguns dos usuários do transporte coletivo, que também não foram ouvidos a respeito da mudança, não estão contentes com a alteração.Consoli relatou que eles tentaram falar com o executivo. “Não tivemos uma boa recepção e não foi aberta possibilidade de fazer uma reunião para discutir esse problema. Por isso procuramos a câmara que está se comprometendo a fazer uma reunião com a administração pública”. O comerciante contou que procurou instalar sua empresa na Rua Tamoio sabendo do fluxo de pessoas que havia em conseqüência do ponto de ônibus. “Essa mudança torna inviável a continuidade da empresa nessa rua, e procurar o centro da cidade também é inviável, pois existe o problema do trânsito e poucas vagas para estacionamento”, concluiu. O diretor de Desenvolvimento Urbano e arquiteto responsável pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (IPPUPB), Rubens Ciro Calliari Junior, disse que a mudança representa um por cento do que deveria ter sido feito em relação ao transporte coletivo. “Anteriormente, o motorista tinha que fazer duas curvas estressantes e que oferecia perigo aos pedestres, o que foi resolvido. Outras mudanças não são aconselháveis sem mudar todo o sistema viário”.Os vereadores irão marcar uma reunião entre os comerciantes, o prefeito Roberto Viganó (PDT), o secretário municipal de Engenharia, Obras e Serviços Públicos, Vladimir Dal’Ross, e representantes do Sindicato do Comércio Varejista de Pato Branco (Sindicomércio) e Associação Comercial e Empresarial de Pato Branco (Acepb), para discutir o assunto.MetropolitanoDurante a reunião, foi levantada a hipótese de que a linha de ônibus metropolitana também seria removida da Rua Tamoio. O que preocupou o proprietário da Rede Branfarma, Nildo Roldo. “O fluxo de pessoas que vem a Pato Branco, para fazer compras ou utilizar outros serviços, vai diminuir. Isso porque eles descerão do ônibus longe do centro da cidade. É um agravante para o comércio”, afirmou. “O ônibus metropolitano não deve usar os pontos de ônibus urbanos, pois acontece uma disputa de espaço. A prefeitura deveria criar pontos para a linha metropolitana. O ponto que ficou na Rua Tamoio é para uso da linha Metropolitana. Porém, o correto seria que essa linha saísse do centro e fosse instalada na Rua Paraná, mas para isso, essa rua deveria passar para mão única”, explicou Calliari.