Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Programa de Proteção e Bem-estar dos Animais é aprovado pelos vereadores

O projeto de lei que institui o Programa Municipal de Proteção e Bem-estar dos Animais (Probem) foi aprovado em primeira oportunidade durante a sessão de ontem (11), da Câmara Municipal de Pato Branco. A proposta, que visa prevenir doenças e combater os maus tratos aos animais, também tem o objetivo de preservar a saúde da população, protegendo-a de doenças infecciosas, por exemplo.A matéria foi apresenta pelos vereadores Claudemir Zanco, o Biruba (PROS), Enio Ruaro (PR), Leunira Viganó (PDT) e Vilmar Maccari (PDT) e deverá voltar a pauta da próxima sessão a ser realizada nesta quarta-feira para segunda votação.O vereador Maccari disse que o projeto é bastante amplo. “Tenho certeza que, se depois de aprovado, o Executo colocar em prática o programa, a população terá muito benefícios”, afirmou. Também autora do projeto, Leunira citou entre as ações mais importantes previstas na matéria a obrigação de clínicas e petshops comercializarem apenas animais com o chip implantado.Já o vereador Enio Ruaro destacou a criação do Conselho Municipal de Proteção dos Animais (Compato), prevista no projeto, importante para o suporte das ações previstas. Ele também ressaltou que a matéria prevê multa para quem abandonar um animal de estimação.De acordo com Biruba, o projeto nasceu em 2009, foi integrado com outras propostas apresentadas pelos vereadores da época Guto Silva e William Machado, foram feitas várias reuniões, uma Audiência Publica, e em 2012 a matéria foi aprovada. Porém, em 2013, o prefeito Augustinho Zucchi (PDT) vetou a proposta dizendo que não tinha condições naquele momento de aplicar o programa. Mas se comprometeu a dar apoio a algumas ações e aplicar o programa no momento oportuno.“Agora, com a aprovação do projeto, daremos um passo importante. Mas temos bastante trabalho pela frente, como criação do conselho, de um espaço para abrigar os animais que são vítima de de maus tratos e o cadastro dos animais para depois fazer a implantação dos chips”, disse Biruba.