Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Programa Integrado de Conservação de Solo e Água do Paraná é apresentado no Legislativo

Na sessão de segunda-feira (26), os vereadores conheceram o Programa Integrado de Conservação de Solo e Água do Paraná (Prosolo). Apresentação do programa foi realizada pelo chefe interino do Núcleo Regional da Secretaria de Agricultura e do Abastecimento (Seab), Ivano Carniel, e pelo presidente do Sindicato Rural, Oradi Caldato,e vice-presidente da Federação da Agricultura do Estado Paraná (Faep). O convite havia sido formulado pelo vereador Carlinhos Polazzo (Pros).Um dos objetivos do programa é recuperar áreas com erosão, problema que voltou a aparecer com maior intensidade nas propriedades nos últimos anos. Segundo dados da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, 30% das propriedades paranaenses sofrem com o processo de erosão. A adesão do produtor ao Prosolo é voluntária. O decreto do Governo prevê vantagens ao proprietário que aderir ao programa. O prazo de adesão vai até o fim do mês de agosto e, para agilizar a divulgação das ações do programa, segundo Caldato, estão sendo realizados encontros na microrregião de Pato Branco. O programa está capacitando mais de 2.000 técnicos. Os profissionais vão atuar na elaboração de projetos de conservação de solo e água e também promover a capacitação de produtores rurais para o manejo adequado do solo.Ele ressaltou evidenciou o programa e disse que está levando à informação aos vereadores da microrregião, dos municípios que integram a base territorial do Sindicato Rural, pois, entende que os parlamentares são os representantes legítimos da sociedade. “A terra é o nosso maior patrimônio, não é o trator, o caminhão”, afirmou, salientando que o patrimônio, a terra, deve ser usado com responsabilidade, às futuras gerações dependem desse patrimônio. O sindicalista alerta, “se você {produtor} não tem problema nenhum em sua propriedade, ótimo, mas se tem problema não se esconda, porque nesse primeiro momento é a etapa de adesão ao programa. O produtor terá um ano para adaptar-se as novas regras, mas depois a fiscalização vai atuar. A Faep está preparando profissionais para ajudar o produtor na elaboração do projeto, que não será gratuito, cada um vai discutir o seu valor, aliás não deve ser gratuito por várias razões. O Paraná desenvolveu o maior programa de conservação de solos, ele serviu de exemplo para o mundo, na década de 80, porém presenciamos os murundus sendo desmanchados, inclusive, o produtor recebeu subsídio do Estado.Caldato ressaltou a importância do programa e disse que está levando à informação aos vereadores da microrregião, dos municípios que integram a base territorial da do Sindicato Rural, pois, entende que os parlamentares são os representantes legítimos da sociedade. “A terra é o nosso maior patrimônio, não é o trator, o caminhão”, afirmou, salientando que o patrimônio, a terra, deve ser usada com responsabilidade, as futuras gerações dependem desse patrimônio. ***Parcerias***Segundo o chefe interino da Seab, Ivano Carniel, o avanço da mecanização na lavoura fez com que o produtor rural deixasse a conservação do solo em segundo plano. A agricultura tem uma estrutura muito forte, consolidada, porém, é preciso intensificar a conservação do solo, o nosso bem maior. O programa tem a parceria com inúmeras entidades. O produtor tem até o final de agosto para aderir ao Prosolo e elaborar um projeto de conservação de sua propriedade. Após a elaboração do projeto, ele tem um ano para apresentar as ações de preservação. O produtor que entender que a propriedade está dentro da normalidade, ou seja, que efetua procedimento de conservação de solo, mas que, na verdade, não cumpre a legislação, a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) poderá exigir o cumprimento da legislação. O programa vai colaborar na definição de critérios técnicos para determinar o espaçamento e dimensão de terraços, assim como manejo, clima e culturas regionais a serem plantadas.