Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Ubiracy José Tesserolli

Projeto busca proibir o uso de narguilés em lugares  públicos

Está tramitando no Legislativo o projeto de lei que proíbe o uso do cachimbo do tipo de narguilés (cachimbo de água) nos espaços públicos de Pato Branco, abertos ou fechados.  O autor da matéria é o vereador Vilmar Maccari (PDT). A iniciativa também veta a venda do produto para consumidores com menos de 18 anos.  Maccari explicou que, o objetivo é conscientizar as pessoas, os jovens, dos efeitos negativos para a saúde, bem como,  para quem está no entono, ao lado do fumante, o risco de inalar a fumaça.

“O projeto busca alertar as autoridades, os que fazem uso do cachimbo sobre os efeitos negativos”, pontua o vereador, acrescentando que a iniciativa traz uma serie de benefícios à saúde e ao Município, visto que, quando uma pessoa fica doente, a maioria das despesas é custeada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), podendo ser ou não a causa da doença provocada pelo uso do cachimbo de água.

 O uso do produto, segundo a proposição, é proibido em locais públicos,  ou seja, abertos ou fechados. O projeto lembra Maccari, segue em tese, as mesmas regras da Lei Antifumo.

Dados

Fumar tabaco usando o tradicional cachimbo árabe é um costume centenário no Oriente e recentemente chegou aos bares e cafés brasileiros, atraindo, principalmente, a atenção dos jovens. Com um aroma agradável, o narguilé consegue disfarçar malefícios que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), são mais severos do que os do cigarro.

Uma sessão média do produto equivale ao consumo de 100 cigarros. Normalmente compartilhada em confraternizações e encontros de amigos, a piteira do narguilé é outro ponto que chama a atenção dos especialistas. De boca em boca, ela aumenta as chances de transmissão de doenças graves, como a hepatite C.