Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Projeto busca suprir vagas na área de software

Pato Branco é considerada em nível estadual como Arranjo Produtivo Local (APL) da área de software, e caminha para o reconhecimento também em nível nacional. Isso é resultado do trabalho das faculdades que oferecem cursos na área e principalmente das 32 empresas que desenvolvem software no município. Porém, essas empresas têm uma demanda de mão-de-obra qualificada que não está sendo suprida.Buscando preparar pessoas para trabalhar na área de desenvolvimento de software, o Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) de Pato Branco, criou o programa Aprender e Crescer. Com o objetivo de apresentar este projeto aos vereadores e comunidade, o presidente do NTI, Justino Craveiro Neto, participou da sessão ordinária da Câmara Municipal de Pato Branco, realizada no último dia 31, a convite do vereador Osmar Braun (PV).Neto relatou que o projeto surgiu sem cunho social. “Atendendo o interesse dos empresários, na busca de mão-de-obra qualificada, o NTI acabou criando oportunidade de emprego aos jovens”, disse. Segundo ele, Pato Branco tem 57 empresas na área de informática, que juntas geram aproximadamente 500 empregos. As 32 empresas de desenvolvimento de software já comercializaram aproximadamente 16 mil cópias, dessas, 62% estão distribuídas em todo território nacional, sendo que algumas empresas vendem para fora do país.Braun perguntou o que a câmara e a prefeitura poderiam fazer para incluir mais jovens no programa. “Vejo que somente esses 15 alunos não suprem a necessidade do mercado”, disse. Neto respondeu que essa é uma das vontades do NTI, e acredita que a prefeitura possa contribuir, tanto na articulação como financeiramente, para tornar esse projeto continuo, formando outras turmas.O ProjetoO projeto Aprender e Crescer busca capacitar alunos de escolas públicas que estejam cursando o 2º grau ou pós-médio. De acordo com Neto, o conhecimento repassado servirá para uso imediato nas empresas, ou seja, não serão trabalhados conteúdos fora da necessidade do mercado. As aulas ocorrem na Faculdade Mater Dei, que cedeu uma sala para o programa. Neto ressalta que existe um compromisso de que os alunos que estão nesse projeto serão absorvidos pelas empresas. “Tínhamos a capacidade de qualificar apenas 15 alunos, que foram buscados com a ajuda do Sebrae, Mater Dei, Núcleo Regional de Educação (NRE) e prefeitura. Fizemos uma prova onde foram escritos 433 alunos, um número acima do esperado. Dessa prova, selecionamos 25 alunos que seguiram para um teste psicológico, chegando assim nos 15. A primeira aula foi realizada há 15 dias, quando participaram também os pais, com isso queremos firmar o compromisso de que esses jovens não faltaram aulas e estudaram os conteúdos”, explicou.