Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Ubiracy José Tesserolli

Reunião no Legislativo debate demanda dos usuários do transporte coletivo

A deficiência nas linhas do transporte coletivo, pontos de ônibus, aumento da tarifa,  foram o assuntos tratados durante uma reunião na sede do Legislativo, na segunda-feira (25). Agendada pelo vereador Claudemir Zanco, Biruba (PDT), o debate  contou a presença de representantes do Executivo, da empresa concessionária, lideranças de bairros e de estudantes.

Os usuários do sistema reclamam das alterações processadas na planilha de horários, da superlotação, sem contar com o valor da tarifa.  O coordenador do órgão gestor do transporte público, Jacir da Rocha, disse que superlotação é uma questão pontual, o que exige uma visualização local, pois avaliar que o veiculo está cheio, não quer dizer que está com excesso de passageiros. Ele citou, por exemplo, que a legislação faculta até seis pessoas por metro quadrado. O novo edital, no entanto, puxou para cinco pessoas.  “O órgão gestor estará acompanhado esses números”, afirmou.

O aumento da tarifa, segundo ele, é calculado pelo órgão gestor, posteriormente é enviado à Câmara Técnica de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana, oportunidade que é efetuada uma avaliação e votação.  “A nova planilha foi majorada dentro dos preceitos legais”, ressaltou.

“O debate foi positivo, principalmente pela participação da comunidade”, registrou o vereador Biruba, pontuando que o sistema implantado gerou problemas, mas que o Município procedeu a alterações em linhas, o que, a seu ver, vai gradativamente normalizar a operacionalização e atender o maior número possível de usuários do sistema.  A dúvida, ressalta o vereador, ainda reside no valor da tarifa.

O valor de fevereiro de 2017 seria de R$ 2.95, abril de 2018, quando a novo sistema começou a operar R$ 3.30, mas, disse o vereador, que ainda não tem a planilha de custo para ser analisado, fazer o contraponto. “Estamos aguardando essas informações para efetuar esse contraponto”, salientou, além disso,  outra novidade é a criação de um fundo direcionado ao estudante, ao idoso, que no futuro poderá gerar redução do valor  da tarifa.

A estudante Izabelle  Cristina de Souza Baldo, do Diretório Central Acadêmico (DCA) da UTFPR, comentou que os horários previstos nas planilhas não correspondem com a realidade, ou seja, na prática. O estudante fica muito tempo aguardando o veículo no ponto.  Além dos horários, os estudantes reivindicam aumento da frota de ônibus em horários de pico, e um respeito maior por parte dos funcionários da empresa.