Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Secretário detalha relatório de análise hidrológica da bacia do córrego Fraron

Assunto por várias vezes abordado pelo vereador Gilson Feitosa (PT), as obras para evitar alagamentos na rua Luiz Parzianello, bairro Fraron, deverão acontecer em pouco tempo. A convite do líder do PT, o secretário de Engenharia, Obras e Serviços, Osmar Braun Sobrinho, participou na quarta-feira (14), da sessão ordinária da Câmara Municipal, e comentou a análise hidrológica da bacia do córrego Fraron.Pelos dados, nos últimos anos a bacia sofreu expressiva urbanização e a capacidade da canalização tem sido superada com relativa frequência, provocando enchentes. O relatório propõe medidas estruturais {obra} e quando não estruturais {normativas}, que devem ser implementadas em parte pelo Município e parte pelos proprietários de imóveis e empreendimentos, uma vez que todas as formas de ocupação geram vazões de pico, pois impermeabilizam o solo {telhados, caçadas, pavimentações, compactação do solo} e canalizam água pluviais.O estudo, segundo o secretário, apontou que para evitar alagamentos são necessárias medidas estruturais. Entre as medidas, a construção de três bacias de contenção, ou ampliação da canalização. Braun disse que ainda não tem uma data prevista para começar a obra, porém, ele acredita que a construção de bacias de contenção é a melhor alternativa, justamente, porque gera áreas de lazer, de ocupação pela comunidade. Outra medida é ampliação da canalização, uma vez que o processo de urbanização é presente tanto no aspecto da rápida urbanização do solo quanto da ocupação das áreas de fundo de vale {áreas vulneráveis da bacia}. O estudo não descarta ações conjugadas, por exemplo, de canalização e bacia de retenção. A canalização existente conforme o relatório, está com a sua capacidade {vazão máxima} de 18,7 metros cúbicos por segundo. Estima-se que representa 43% {menos da metade} da vazão provável para 1 ano. O trecho mais critico, com 200 metros, está na rua Luiz Parzianello, entre a rodovia e o kartódromo, devido a baixa declividade. Trata-se de uma região de fundo de vale que não deveria ter sido ocupada com moradias e atividades incompatíveis com alagamentos.