Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Admin

Silverio diz que o Legislativo é parceiro das Apaes e defende mais uma ação inclusiva

O presidente da Câmara de Vereadores, Guilherme Silverio (PROS), participou na sexta-feira pela manhã, do 1º. Seminário sobre Intervenção Precoce no Desenvolvimento Infantil, realizado no auditório das Faculdades de Pato Branco (Fadep), que reuniu mais de 500 pessoas.  Além do presidente do Legislativo,  presente o prefeito Augustinho Zucchi (PDT),  professores, pedagogos, psicólogos, assistentes sociais, fonoaudiólogo, e demais profissionais ligados ao trabalho com as crianças de Educação Especial da região Sudoeste.  O evento foi coordenado pelo  Dr. Rui Fernando Pilotto, do Departamento de Genética – Curso de Medicina da UFPR. A palestra que abordou a “intervenção precoce no desenvolvimento infantil” foi proferida  pelo Dr. Vitor Franco da Universidade de Évora, Portugal.Franco é doutor em Psicologia Clínica, com Mestrado e Licenciatura em Psicologia, foi Diretor da Pós-graduação em Intervenção Precoce e Diretor do Departamento de Psicologia, até 2013 e, ainda, diretor técnico da Associação de Paralisia Cerebral de Évora. Franco é presidente da Sociedade Portuguesa de Psicologia Clínica, desde 2005. Além de autor de obras que tratam da Síndrome do X Frágil.A síndrome é uma condição de origem genética causada pela mutação de um gene específico e localizado no cromossomo “X”.  O termo X Frágil foi adotado a partir de 1970 devido à fragilidade em uma região especifica do cromossomo X. Mas somente em 1991, estudos revelaram que essa região era responsável pelo gene FMR1 ou Fragile Mental Retardation1, que causa deficiência intelectual (DI).  **Sinais da Síndrome X  Frágil**Deficiência intelectual, dificuldade motora, orelhas proeminentes ou grandes, face alongada, convulsões, déficit de atenção, dificuldade de contato físico com outras pessoas, morder as mãos {a ponto de causar ferimentos}, dificuldade de olhar para as pessoas com quem fala, ao falar, repete informações e as confunde e na adolescência, apresenta os testículos de tamanho maior que o normal.“As intervenções devem ser realizadas o mais cedo possível”, ressaltou Franco, porque é nesse período que os resultados serão melhores. Porém, o importante são  os cuidados com as famílias das crianças portadoras da síndrome, justamente, porque são as famílias os principais motores do desenvolvimento. “Antes de pensarmos nas intervenções especializadas, devemos amparar as famílias, as quais promovem o desenvolvimento das crianças”, afirmou.Silverio destacou em seu pronunciamento o papel dos educadores, eles sempre estão em pé  para ensinar, mas tem muita humildade para sentar e aprender. “A educação não é feita somente através do processo de descobrir, achar, adivinhar”, salientou Silverio, dizendo que é preciso aprender com os que já trilharam outros caminhos.    Em seguida, o presidente explicou que está trabalhando no sentido de embasar um projeto que atenda as normas emanadas pela  Resolução 108, do Conselho Estadual de Educação. Pela resolução, as escolas da Apae podem acessar benefícios do município, citando, por exemplo, o uso de espaços de lazer, esporte, processo pedagógico e formalizar outras   parcerias.  A partir de agora, explicou o presidente, as escolas podem emitir certificados. “Nada mais justos, se escolas são reconhecidas pelo processo educacional de Educação Infantil e Fundamental, elas estarem participando da rede municipal de ensino”, afirma Silverio, lembrando que “as primeiras ações estão tomadas, inclusive conversando com dirigentes da  Secretaria Municipal de Educação e com o prefeito”.