Pato Branco, PR °min °max

Rodrigo José Correia (PSC)

Eleito(a) por: 1855 votos
Partido: PSC
E-mail: vereador.rodrigocorreia@gmail.com
Telefone: (046) 99131-7731
PSC

Últimos requerimentos apresentados:

  • - [2018-05-21]

    Dos vereadores Carlinho Antonio Polazzo – PROS, Marines Boff Gerhardt – PSDB, Moacir Gregolin – MDB, Rodrigo José Correia – PSC e Ronalce Moacir Dalchiavan – PP, componentes da Comissão de Justiça e Redação,  no uso de suas atribuições legais e regimentais, requerendo seja oficiado ao Depatran e ao Departamento de Limpeza Pública, para que se manifestem tecnicamente a respeito do Projeto de Lei n° 120/2017, de autoria dos vereadores Marco Antonio Augusto Pozza – PSD e Claudemir Zanco – PDT, que dispõe sobre a remoção de veículos e similares abandonados em logradouros públicos no âmbito do município de Pato Branco.

  • - []

    Dos vereadores Rodrigo José Correia – PSC e Ronalce Moacir Dalchiavan – PP, no uso de suas atribuições legais e regimentais, reiterando pedido, requerendo seja oficiado a Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações, para que sejam tomadas providências visando a melhoria na qualidade do sinal de telefonia móvel e também no acesso à internet no município de Pato Branco/PR.

  • - []

    Do vereador Rodrigo José Correia – PSC, no uso de suas atribuições legais e regimentais, requerendo seja oficiado a Companhia Paranaense de Energia, para que a mesma notifique a empresa responsável pelo cabeamento solto em frente ao imóvel nº 1476 na Rua Tocantins, Baixada Industrial.

Últimas indicações apresentadas:

  • - []

    Do vereador Rodrigo José Correia – PSC, no uso de suas atribuições legais e regimentais, indicando ao Executivo Municipal a alteração da licença maternidade das servidoras públicas municipais de 120 (cento e vinte) para 180 (cento e oitenta) dias. Com a ampliação da licença maternidade para 180 (cento e oitenta) possibilitará o maior contato da mãe com seu filho, estendendo dessa forma a amamentação exclusiva com leite materno, sendo este o alimento importantíssimo para o desenvolvimento saudável do bebê. Tenha-se presente que, devido à licença maternidade de 120 (cento e vinte) dias ocorre o desmame de forma precoce, sendo necessária a inclusão de alimentação diversa do aleitamento materno, expondo a criança a diversos riscos inerentes a sua saúde. É no primeiro ano de vida que o bebê tem total dependência com a mãe, onde estabelece padrões de relacionamento para a vida em sociedade, diante disso, temos que levar em consideração que a qualidade do vínculo entre a mãe e o bebê demonstra um potencial maior ou menor de na fase adulto ele ser saudável. Muito embora as vantagens para o bebê e a mãe são muitas, não podemos deixar de frisar as vantagens para a sociedade, pois alguns estudos apontaram a carência afetiva nos primeiros anos de vida, como um dos motivos que levam a violência social e a criminalidade. Convém notar que os gastos com saúde pública diminuirão significativamente a curto e longo prazo, pois a mãe e o bebê deixaram de recorrer aos serviços de saúde com tanta frequência, devido aos cuidados corretos, principalmente uma alimentação adequada nessa fase inicial da vida. Registre-se ainda que, os benefícios da licença maternidade de 180 (cento e oitenta) dias se estenderá às creches públicas, pois com a licença maternidade estendida à mãe poderá ficar mais tempo com seu filho, logo, reduzirá não somente os gastos públicos, mas também a superlotação nas creches de nosso Município. Podemos afirmar que todos tem a ganhar com a licença maternidade de 180 (cento e oitenta), pois os benefícios são inúmeros, para a mãe, para o bebê e para a sociedade, sendo assim, necessário se torna o envio de projeto de lei de autoria do Executivo Municipal para que a Câmara Municipal de Vereadores possa deliberar acerca da matéria e com isso proporcionar inúmeros benefícios tanto para as mães como para os bebês.

  • - [2018-05-07]

    Dos vereadores Rodrigo José Correia – PSC, Marinês Boff Gerhardt – PSDB e Ronalce Moacir Dalchiavan – PP, no uso de suas atribuições legais e regimentais, requerendo seja oficiado ao Executivo Municipal, indicando a implantação de um Restaurante Popular em nosso município. Restaurantes Populares são estabelecimentos administrados pelo poder público que se caracterizam pela comercialização de refeições prontas, nutricionalmente balanceadas, originadas de processos seguros, preponderantemente com produtos regionais, a preços acessíveis, servidas em locais apropriados e confortáveis, de forma a garantir a dignidade ao ato de se alimentar. São destinados a oferecer à população que se alimenta fora de casa, prioritariamente aos extratos sociais mais vulneráveis, refeições variadas, mantendo o equilíbrio entre os nutrientes (proteínas, carboidratos, sais minerais, vitaminas, fibras e água) em uma mesma refeição, possibilitando ao máximo o aproveitamento pelo organismo, reduzindo os grupos de risco à saúde. Esses restaurantes devem ainda funcionar como espaços multiuso para diversas atividades, contribuindo para o fortalecimento da cidadania e representando um polo de contato do cidadão com o poder público. Nesses espaços, devem ser realizadas atividades de educação alimentar, como, por exemplo, palestras sobre valor nutricional dos alimentos, oficinas de aproveitamento e combate ao desperdício de alimentos, realização de campanhas educativas, e também outras atividades com fins culturais e de socialização, tais como shows, apresentações e reuniões da comunidade. O Programa Restaurante Popular tem como objetivo apoiar a implantação e modernização de restaurantes púbicos populares geridos pelo setor público municipal/ estadual, visando à ampliação de oferta de refeições prontas saudáveis e a preços acessíveis, reduzindo assim, o número de pessoas em situação de insegurança alimentar. O modo de vida nas médias e grandes cidades tem gerado um progressivo crescimento do número de pessoas que realizam suas refeições fora de casa, muitas vezes substituindo o almoço por um lanche rápido em bares e restaurantes, comprometendo a qualidade das refeições consumidas. Por questões de restrições orçamentárias, parcela significativa dessas pessoas não tem acesso ao mercado tradicional de refeições prontas. Essa situação tem se transformado em uma violação diária aos hábitos alimentares, comprometendo a qualidade das refeições e aumentando os riscos de agravos à saúde, já que na maioria das vezes, as refeições não possuem as características que preenchem os requisitos de uma alimentação balanceada. A instalação de restaurantes populares visa ampliar a oferta de refeições nutricionalmente balanceadas e seguras, comercializadas a preços baixos. Além disso, há a possibilidade de, futuramente, instalar um Banco de Alimentos em nosso município, para que este sirva de auxílio ao Restaurante Popular, recebendo doação de alimentos de empresas privadas interessadas no programa e que possam ser utilizados no preparo dos alimentos no Restaurante Popular, de modo a incentivar o reaproveitamento dos alimentos, reduzir os desperdícios e minimizar os custos. Diante do exposto, solicitamos que o Poder Executivo estude a viabilidade da implantação desse mecanismo que irá facilitar e melhorar a qualidade de vida dos nossos trabalhadores e as famílias de baixa renda.

  • - [2018-05-02]

    Dos vereadores Carlinho Antonio Polazzo – PROS, Joecir Bernardi – SD, José Gilson Feitosa da Silva – PT, Marco Antonio Augusto Pozza – PSD, Marines Boff Gerhardt – PSDB, Moacir Gregolin – MDB, Rodrigo José Correia – PSC e Ronalce Moacir Dalchiavan – PP, no uso de suas atribuições legais e regimentais, requerendo seja oficiado ao Executivo Municipal, indicando ao mesmo para que providencie o envio a esta Casa de Leis, de um projeto de lei que atualize a remuneração dos membros do Conselho Tutelar de Pato Branco, a qual está prevista no artigo 63, da Lei 3.338, de 9 de março de 2010, que dispõe sobre a política municipal de atendimento dos direitos da criança e do adolescente. A atualização da remuneração dos conselheiros é percebida como uma das formas de fortalecer o sistema de garantias de direitos da criança e do adolescente, uma vez que é indiscutível o estado de defasagem de tal remuneração, se relativizado com a demanda de trabalho exercido, bem como, com a relevância e a responsabilidade do serviço prestado à comunidade. Além disso, com a publicação da Lei Municipal nº 4.577, de 16 de abril de 2015, houve a atualização do § 4º do Art. 56, da Lei nº 3.338, de 9 de março de 2010, modificando o regime de trabalho dos conselheiros tutelares para dedicação exclusiva, de forma que os conselheiros não podem mais ter qualquer outra forma de remuneração, tornando mais do que justa tal atualização, uma vez que, é prática comum no serviço público o acréscimo de valores, em forma de gratificação ou incorporação na remuneração, para funcionários que trabalham nesse regime. Ainda importa salientar que a exigência de dedicação exclusiva resultou, em alguns municípios brasileiros, aumentos de remuneração que chegam a 100%.

  • - [2018-04-25]

    Do vereador Rodrigo José Correia – PSC, no uso de suas atribuições legais e regimentais, requerendo seja oficiado ao Executivo Municipal, indicando a revitalização do campo de futebol e a construção de duas quadras de areia para a prática de futebol e outras modalidades esportivas na Reserva Municipal entre as Ruas Victor Silvio Biazus e Padre Anchieta, no Bairro Anchieta.