Notícias

Pato Branco, PR °min °max

Autor: Ubiracy José Tesserolli

Vereadores autorizam o prefeito iniciar a implantação do Parque da Pedreira da Ivaí

O Plenário do Legislativo aprovou, na segunda-feira (21), dez projetos de lei, de autoria do Executivo, que pede autorização legislativa para abrir crédito especial no orçamento vigente. No total, as autorizações somam mais de R$ 7 milhões.  O valor será investido, por exemplo, em pavimentação de vias públicas, aquisição de um drone (veículo aéreo não tribulado) a ser utilizado pela Secretaria Municipal de Planejamento Urbano, aquisição de 50 contêineres para atender o Programa Municipal de Gerenciamento do Lixo Urbano, que inclui, além da coleta e triagem, a destinação adequada dos resíduos com a modernização do processo.

Outro investimento autorizado pelos vereadores está relacionado à infraestrutura da atividade turística. Mais de R$ 1 milhão para a implantação do Parque da Pedreira da Ivaí. O trabalho objetiva a revitalização da pedreira com a recuperação da vegetação e um novo paisagismo, aproveitando a queda de água existente no local para a formação de um lago, integrado por um palco para shows, a chamada concha acústica, além de banheiros, espaço para visitantes e passeios.

O presidente da Comissão e Orçamento e Finanças, vereador Marco Pozza (PSD), destacou o valor destinado à revitalização e implantação do Parque da Pedreira da Ivaí, tema, inclusive, debatido durante a campanha eleitoral. “Com a liberação dos recursos, que somam mais de R$ 7 milhões, quem ganha é a sociedade”, afirmou Pozza, lembrando que “o Legislativo está fazendo a sua parte”.

Veto

O projeto que proíbe a instalação e utilização de radares móveis para fiscalização de velocidade no perímetro urbano, de autoria dos vereadores Marco Pozza (PSD) e Rodrigo José Correia (PSC), foi vetado pelo Executivo, porém, em votação nominal, o veto foi rejeitado na sessão de segunda-feira (21).

Agora, de acordo com a Lei Orgânica, o projeto será remetido ao Executivo.  Se o Prefeito não promulgar a Lei em 48 horas, nos casos de sanção tácita ou rejeição de veto, o Presidente da Câmara a promulgará e, se este não o fizer, caberá ao Vice-Presidente, em igual prazo, fazê-lo.